A visita ao Departamento de Biologia e Biotecnologia do Instituto Politécnico de Bragança (IPB)

No passado dia 2 de abril de 2012, algo mudou na vida de 21 jovens que se deslocaram até uma terra longínqua. Esses jovens somos nós, alunos do 12º Ano da turma A do AECP.
Eram ainda 7 horas da manhã (de madrugada para alguns) quando nos começámos a juntar no portão da escola Secundária à espera de iniciar a viagem para Bragança. Sim, leram bem, nós abdicamos das nossas férias, para nos deslocarmos a Bragança.
A viagem foi longa, cerca de 3 horas e 30 minutos e como não havia tempo a perder, fomos logo para o IPB. A ida ao IPB estava relacionada com um trabalho que estamos a desenvolver: o estudo genético e morfológico das populações de medronheiro em Castelo de Paiva. Para nos auxiliar neste projeto, o IPB abriu-nos as suas portas e permitiu que contactássemos com técnicas e instrumentos científicos de nível universitário, indispensáveis ao nosso projeto.

À procura de medronheiros em Castelo de Paiva

Uma das tarefas a que nos propusemos com o nosso projeto foi o de identificar os principais povoamentos de medronheiro existentes em Castelo de Paiva.
Para atingir este objetivo, cada um de nós ficou responsável por procurar medronheiros na área de residência. Da pesquisa, efetuada até ao momento, concluímos que existem medronheiros em pelo menos 5 das freguesias de Castelo de Paiva, nomeadamente: Santa Maria de Sardoura, Raiva, Pedorido, Bairros e Fornos.
Após a identificação dos locais procedemos à recolha de amostras (ramos) que mais tarde foram alvo de estudo morfológico e genético no